Pium, sábado 19 de outubro de 2019

Educação

Vestibular de Educação do Campo será o maior dos câmpus de Arraias e Tocantinópolis

14/03/2014 07h28

Campus da UFT em Arraias
 Bianca Zanella (UFT)

Com um total de 1.351 inscritos, o primeiro vestibular para o Curso de Educação do Campo da Universidade Federal do Tocantins (UFT) será o maior da história dos câmpus de Arraias e Tocantinópolis. A procura pelas 120 vagas oferecidas em cada câmpus chega a ser três vezes maior, por exemplo, que o número de inscrições registradas no Vestibular 2013/2 para os câmpus que já contavam, cada qual, com duas licenciaturas.

Em Arraias, onde foram computadas 933 inscrições, a concorrência para o novo curso chega a 19,17 candidatos por vaga na modalidade da Lei 12.711/2012 para estudantes oriundos de escolas públicas com renda per capita superior a 1,5 salário mínimo, conforme a lista divulgada nesta quinta-feira (13) pela Comissão Permanente de Seleção (Copese).

No Câmpus de Tocantinópolis são 418 candidatos inscritos, e a concorrência chega 5,22 candidatos por vaga na mesma cota. Lá, a concorrência só não será a maior da história dos vestibulares do município do Bico do Papagaio porque em 2007, quando foi lançado o curso de Ciências Sociais, foi registrada a disputa de 6,11 candidatos por vaga no vestibular.

"A grande procura só confirma a demanda latente que nós sabíamos que existia, mas que estava reprimida", comenta o coordenador do Curso em Arraias, Alessandro Pimenta.

A prova do processo seletivo ocorre no dia 23 de março em Arraias e Tocantinópolis e várias prefeituras vizinhas estão organizando caravanas para garantir a participação dos candidatos de seus municípios.

Os locais onde a prova será aplicada devem ser publicados no dia 20. Outros detalhes podem ser conferidos no Edital de Abertura e mais informações sobre o certame no site da Copese.


Sobre o curso - Voltado especialmente para pessoas de comunidades rurais e professores que já atuam no campo, mas não são formados, o curso de graduação é uma licenciatura com habilitação em Artes Visuais e Música com duração de quatro anos. Para atender as demandas específicas do público-alvo e também como forma de evitar o êxodo rural, o curso é oferecido na modalidade presencial em regime de alternância e possui uma metodologia diferenciada: o semestre é dividido em "tempo escola", que compreende as atividades em sala de aula e nos laboratórios, e "tempo comunidade", de modo que parte das disciplinas é desenvolvida nas comunidades, com o acompanhamento dos professores.

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.
Jornal Ecos do Tocantins    |    Contato: trajanocoelho@gmail.com    |    (63) 98444-2993